sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Depressão x Tristeza

"A agitação, instabilidade da vida moderna, movida de estressores, muitas vezes trazem sentimentos de desânimo e impotência diante das exigências da vida. Assim trazendo, a falta de tempo para fazer as tarefas comuns da vida diária, a dificuldade em conciliar trabalho e cuidados com a saúde, horário para lazer, planejamento familiar, dívidas ou mesmo com a estética corporal... Esses e outros motivos podem causar sentimentos ruins de tristeza que costumam até ser confundidos com a depressão, trazendo assim uma certa preocupação."

A diferença entre a tristeza e depressão:
Isso passa, é só uma fase. É bom que passe mesmo. A tristeza é um sentimento momentâneo, considerado saudável e até importante pelos médicos. Ajuda na elaboração das perdas, ou sofrimentos ocasionais. As pessoas atingidas pela ocorrência de perdas, do emprego ou de entes queridos, atravessam uma fase de sofrimento e angústia, que pode se prolongar por um
determinado período de tempo (cerca de 2 meses), mas esse quadro vai se atenuando e paulatinamente a vida vai retomando o ritmo normal.

Agora, se a tristeza não passa, e começam a surgir sentimentos de apatia, indiferença, desesperança, falta de perspectivas ou prazer pela vida, saiba que esse é um sintoma claro de depressão. Os sintomas podem aparecer ou desaparecer de maneira sutil e quase imperceptível, mas é importante saber que eles podem voltar e depressão é doença séria e assim deve ser tratada. A depressão é uma doença recorrente e crônica.

Pesquisas da OMS revelam que os indivíduos que vivem um episódio depressivo, têm 50% de probabilidade de Ter o segundo. Para os que passam por um segundo episódio, a probabilidade de Ter um terceiro aumenta para 75%, e quem chegou ao terceiro, corre
o risco 90% maior de sofrer uma Quarta crise depressiva. Calcula-se que cerca de 20% da população mundial enfrentará esse problema em um dado momento da vida. A doença atinge crianças, adolescentes e adultos, sendo verificada uma incidência duas vezes maior em mulheres na faixa dos 20 aos 40 anos.
.
.
Pode ser leve, moderada ou grave
A depressão encontra-se classificada no Grupo das Doenças Afetivas, ou seja, aquelas que tem uma evolução cíclica, em que se alternam períodos depressivos com fases de absoluta sanidade. Ao contrário do que se possa pensar, essa não é uma doença moderna. Hipócrates, considerado o pai da Medicina, descreveu seis doenças mentais, dentre elas a depressão, há aproximadamente 400 AC. Os sintomas podem se manifestar de uma forma branda, e é comum o paciente procurar um clínico-geral, acreditando estar com falta de vitaminas ou alguma doença mais grave.

Outros, simplesmente acreditam ser apenas mais uma "fase ruim" e não procuram ajuda, agravando ainda mais o problema.
Indivíduos apresentando quadros leves, raramente procuram tratamento.

É comum o paciente ser conduzido ao médico por familiares, contra a sua vontade. A pessoa alega estar se sentindo bem, mas a família percebe que ela apresenta comportamentos estranhos não compatíveis com os usuais. Para classificar a depressão, é importante, observar a intensidade dos sintomas. A caracterização desse distúrbio psíquico se dá pela ocorrência de pelo menos cinco deles num prazo mínimo de duas semanas: ansiedade, diminuição da libido, dificuldade de concentração, fadiga constante, sensação de desânimo, inquietação e irritabilidade, perda ou excesso de apetite, insônia ou sonolência excessiva, tristeza persistente, perda de interesse por atividades prazerosas, sentimentos de culpa, auto-desvalorização e pessimismo, idéias de morte ou de suicídio e ainda dores de cabeça ou distúrbios digestivos que não respondem a tratamento.

Sintomas isolados, ou mesmo conjuntos de sintomas devem ser examinados cuidadosamente para se evitar a realização de diagnósticos imprecisos ou questionáveis. Existem casos de dores crônicas, em que o paciente, após inúmeros exames que se mostram normais, melhora com o tratamento antidepressivo adequado.


As várias causas da doença:
Os vários fatores que podem desencadear uma doença afetiva ainda são um mistério para a medicina. A tentativa de descobrir o que desencadeia a depressão, cientistas se empenham em desvendar as possíveis implicações genéticas, a estrutura cerebral, e a relação entre os mecanismos químicos do cérebro com as alterações psíquicas decorrentes de perdas. Na década de 60, os pesquisadores acreditavam que o problema estaria na falta de neurotransmissores no cérebro de pessoas deprimidas. Sabe-se que algumas substâncias químicas que permitem a comunicação celular no cérebro (neurotransmissores), como a serotonina, a dopamina e a noradrenalina, são responsáveis por uma espécie de regulagem das emoções.

Os antidepressivos foram criados para repor a falta dessas substâncias, mas os cientistas perceberam que mesmo que o medicamento aumente os níveis dessas substâncias pouco tempo após ser ingerido, só começa a fazer efeito, na maioria dos casos, após duas semanas de uso. A causa da depressão não seria então decorrente apenas da falta de neurotransmissores, mas
também de um desajuste na comunicação das células nervosas e esse tempo de suas semanas seria necessário para um acerto no sistema que envolve os neurotransmissores. Uma outra possibilidade seria a determinação genética, através de transmissão
hereditária e estaria ligada ao cromossomo X. os homens possuem somente um desses cromossomos, já as mulheres tem dois, portanto, teriam duas vezes mais chances de ficar deprimidas, o que justificaria o alto índice da doença no meio feminino.
Estudos mostram que se um dos pais apresenta o distúrbio, há 27% de possibilidade de que algum de seus filhos venha a apresentar a doença, esse numero sobe para entre 50% e 75%, quando ambos os pais apresentam o problema. Doenças cardiovasculares, disfunções hormonais e da tireóide, distúrbios neurológicos e principalmente o câncer, também podem desencadear crises depressivas, mas tratada a doença de base, a depressão desaparece. Cientistas pesquisam também a relação da doença com alterações metabólicas e estruturais do cérebro. Os deprimidos apresentam uma discreta diminuição de fluxo sangüíneo no cérebro e uma redução (4%) nos lobos frontais e nas estruturas subcorticais. Por último, mas não menos importante, estão os fatores psicossociais que não podem ser descartados. As perdas dos pais na infância, do cônjuge, ou mesmo do emprego na idade adulta, as traições (perdas de confiança), provocam alterações psíquicas que podem desencadear a doença.
.
.
Tratamento:
O tratamento da depressão é estabelecido em função dos sintomas apresentados e da intensidade do quadro. A depressão pode evoluir como uma doença única ou Ter várias fases. Algumas pessoas têm vários episódios depressivos ao longo da vida. "Na realidade, os limites entre a depressão leve, moderada ou grave, são arbitrários. Considera-se depressão leve ou moderada, quando o paciente consegue executar algumas ou mesmo todas as suas atividades pessoais, mas para isso precisa fazer um esforço muito maior que o normal. Já nos quadros depressivos graves o indivíduo não consegue se alimentar, manter seus cuidados pessoais, a deterioração é progressiva, podendo levar à morte". Explica o Dr. Cordás. O tratamento ideal é
inicialmente farmacológico, mas de uma maneira geral, associado à medicação recomenda-se o acompanhamento psiquiátrico que além de fazer com que o paciente se sinta mais forte, ameniza a rejeição ao tratamento químico que pode durar anos.

Os antidepressivos se mostram eficazes em 75% a 90% dos casos, e a eficiência de todos é muito parecida, o que muda são os
efeitos colaterais, quem escolhe a melhor opção para cada caso é o especialista. Os gripos de antidepressivos mais conhecidos e mais utilizados são os tricíclicos (imipramina), ininbidores seletivos da recaptação de serotonina (paroxetina, fluoxetina, sertralina), inibidores de recaptação de noradrenalina e serotonina (venlafaxina) e inibidores irreversíveis da
monoamina-oxidase/IMAO (tranilcipromina). Na maior parte das ocorrências, depois de encontrar o remédio certo, os sintomas desaprecem em um ou dois meses, mas a medicação deve ser mantida por pelo menos seis meses, isto num caso de primeiro
episódio depressivo. Essa frequência tende a aumentar com a ocorrência de novos episódios, alguns critérios sugerem que a partir da ocorrência do terceiro episódio esta manutenção se prolongue por toda a vida.


Recomendações:
Medicamento antidepressivo não é produto cosmético, a ilusão da pílula da felicidade foi criada pela mídia. Isso é péssimo,
pois alguns tomam o remédio sem necessidade, mas o pior são aqueles que tomam o medicamento para mascarar graves problemas
pessoais. Remédio de depressão não vicia. Algumas pessoas abandonam o tratamento, assim que desaparecem os sintomas, com medo
de se tornarem dependentes do medicamento. Essa é uma atitude altamente prejudicial ao próprio paciente.

Consultoria: Dr. Táki Athanássios Cordás Diretor médico da Unidade, médico psiquiatra, Assistente do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Mestre em Psiquiatria pelo Depto. De Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.
.
Certa vez ouvi um médico dizer: -É mais fácil tratar de um paciente com estado terminal, do que uma paciente depressivo.
Olha só, tratar, terminal. Gente, é preciso ter fé, acreditar, lutar e veremos tudo por outro ângulo. Confesso que sofro de um trastorno, que falarei depois a respeito em outra postagem. Melhoro com a fé, com os pensamentos bons, terapias musicais. Sou feliz e tenho momentos de trsiteza, desabafo, prefiro pensar assim.
.
Assista o Big Brother Ao Vivo Aqui no Mulher Diferente, logo abaixo das postagens.

32 comentários:

kuandr disse...

É relamente um caso muito sério esse.
A um tmepo atras logo assim que eu terminei com minha ex eu scheguei a pensar que estava entrando em depressao e o medo de que isso fosse verdade me assustava oO
foi quando eu criei meu blog ^^
Sato remedio =DD
Conheci pessoas novas, fiz amigos vi tanta coisa nova que nunca havia pensado em existir e ca estou eu ate hoje de bem com a vida, cheio de amigos.
Nao ha nada tao ruim que nao possa vir a ficar bom na companhia de grandes amigos
Minha amiga forte abraco e o post esta show de bola tenho certeza que muitos irao gostar tbm
abrcos e felicidades


www.kuandr.blogspot.com

Inspirações disse...

Gostei, foi bom saber...

Um ótimo final de semana!

Robs disse...

Adorei seu post...muito bom mesmo.

Eu ja tive depressao leve, mas graças a Deus hj estou bem...fiz tratamente durante quatro anos com psicologo...

Bjokass!

Sofia,Pedro e Joana disse...

Olá querida mamã, muito obrigada pela tua visita ao nosso cantinho, és sempre muito bem-vinda. Vim retribuir a visita e deparo-me com um cantinho muito adorável, que certamente virei visitar mais vezes!
Parabéns pela tua gravidez e, sobre o tema da depressão pós-parto, o que te poderei dizer é, não sofrer por antecipação e manter sempre um pensamento positivo. Ajuda muito!
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

* . * disse...

eu vou te falar aqui,que no ano retrazado,eu já passei por uma depressão terrível.não tinha ânimo,chorava ,sentia uma dor que não sabia que dor era aquela,sentia que ninguém gostava de mim,que se eu deixasse de existir ninguém notaria minha falta.foi como vc citou aí,eu dormia excessivamente,justo pra não ter que ver ninguém e fugir da realidade.cheguei a pensar em me matar,pensar não,peguei a faca e tudo,mas não tive coragem.desde então,prometi pra mim mesma que jamais,faria aquilo de novo.conversei com a psicologa,comecei a ler livros,me dedicar mais aos estudos,e meus pais se mudaram ( isso tudo foi na época que estava o inferno aqui em casa).acho que não existe nada pior que a depressão,nada! é um vazio inexplicável,um sentimento que você não sabe de onde vem...sei lá,até hoje eu penso,me dá um arrepio...mas o negócio é encarar de frente,procurar ajuda,senão pode acontecer o pior mesmo.
bom final de semana^^
bjs

* . * disse...

eu vou te falar aqui,que no ano retrazado,eu já passei por uma depressão terrível.não tinha ânimo,chorava ,sentia uma dor que não sabia que dor era aquela,sentia que ninguém gostava de mim,que se eu deixasse de existir ninguém notaria minha falta.foi como vc citou aí,eu dormia excessivamente,justo pra não ter que ver ninguém e fugir da realidade.cheguei a pensar em me matar,pensar não,peguei a faca e tudo,mas não tive coragem.desde então,prometi pra mim mesma que jamais,faria aquilo de novo.conversei com a psicologa,comecei a ler livros,me dedicar mais aos estudos,e meus pais se mudaram ( isso tudo foi na época que estava o inferno aqui em casa).acho que não existe nada pior que a depressão,nada! é um vazio inexplicável,um sentimento que você não sabe de onde vem...sei lá,até hoje eu penso,me dá um arrepio...mas o negócio é encarar de frente,procurar ajuda,senão pode acontecer o pior mesmo.
bom final de semana^^
bjs

* . * disse...

ah,esse comentário acima sou eu,fernanda do " querido diário".é que a droga do meu pc,não tá querendo mudar de conta :X

Luciano disse...

Passando pra deixar meu abraço

Aura Sacra Fames disse...

Realmente a depressão é um mal do século XXi, já dizia Steven Rose, quem a provoca antes de tudo, o sistema estressante e angustiante no qual vivemos, o capitalismo.


Abraços
aurasacrafames.blogspot.com

Sophie disse...

Como é forte essa frase do médico, sobre ser mais fácil um paciente em estado terminal do que um depressivo. Seu texto foi super esclarecedor e deve-se sim dar mais atenção a esses casos.
=*

Jônatas Santos disse...

Querida... brigado pelos comentários... descula minha ausência hehe minha vida ta um pouco complicada.

Então, acho que seu texto me fez pensar em procurar um médico...hahahah


beijao

TODO NOSSO disse...

Bom,tive depressao varias vezes,a ultima foi muito grave,ainda nao estou curada,fiz td errado,abandonei o tratamento,era uma excelente academica na universidade,este ano passado,minhas notas cairam,irei para o ultimo ano,mas sabe,estava pior,só chorava,tinha dores,trsiteza,ainda estou meio bloqueada,nunca fui de estudar muito,sempre dava uma lida na materia e arrebentava na prova,hj vejo nao estou assim tao craque,mase stou tentando,irei de novo ao psiquiatra,mas te confesso,é dificil aceitar o tratamento,tinha toc,mas ja passei por isso, da trsiteza,melhorei,da angustia tb,mas tenho horas de extrema raiva,choro muito,nervos a flor da pele,acho q pela separação e da minha filha mais velha ficar com o pai,sei la,mas Sergio,me ajuda,pena q estamos longe,ano q vem,ficaremos juntos,se Deus quiser,sao muitos fatos,q fizeram com q eu piorasse,tentasse o suicidio,ms hj estou consciente de q a vida é bela,q sou especial e q depende de mim,para eu seguir bem e firme!!
adorei Jhennifer,seu post arrasou,muitas pessoas sentem isso e nao sabem o pq,aprendi q muitas vz a depressao é nossa covardia,perante nossas vontades,as vz temos vontade de fazermos algo,e nos prendemos as opinioes,hj ,faço o q acho certo e estou bem melhor!!!
bjss,saudade de vc!!se cuide muito!!!
lane

LiLi disse...

Olha amiga, sei bem sobre o que postou pois já sofri com depressão. No meu caso, por problema emocional. Realmente só quem tem sabe o que é. Não desejo para ninguém. mas se vc é forte e busca os caminhos certos, dá pra sair dessa como eu saí. Graças a Deus hj estou mais tranquila qto a ela. não sei se me curei, mas consigo viver minha vida feliz e tranquila numa boa.
se quiser conversar sobre me manda um email.
bjs!

Mary West disse...

Interessante e fico feliz por nunca ter estado perto desse tipow de problema. Já tive minhas fases introspectivas, mas nenhuma chegou a ser barra-pesada.

Quanto a parceria, me manda um email okay? Beijos.

Camila :) disse...

seei beme como é ter depressao,ainda bem que soube sair rapidinhoo e semrpe falo que remedios naum sao o melhor caminhu!! ameei o tema ,

bejoos

Sophie disse...

Aaaa U2 vem sim em 2010! É o que tudo indica! ;D
Roxette seria tuuuuudo
=*

Ana Paula disse...

SEMPRE POSTANDO ASSUNTOS BACANAS HEIN!
BOM FDS PRA VC TB
BJO

Gisele Santos - Redação MRC disse...

minh avó já teve depressão, não é nada fácil pra pessoa e pra família ....

eu acho teu blog muito bacana, vc consegue aproveitar todos os espaços !

olha só,
o blog mrc tá de cara nova , simples, mas com tudo na mão! rsss passa lá tá http://blogmundorockdecalcinha.blogspot.com/ ... e tem enquete pra participar !!! ... bjus

Kenard Kruel disse...

quando tiver um tempinho, entre na kenard kaverna, mas sem bater, que da polícia já apanhei demais.

www.krudu.blogspot.com

se puder colocar o link na sua seleta lista de blogs, ficarei eternamente agredecido e feliz, assim como farei com o seu no meu.

por fim, rogo autorização para, de quando em quando, postar escrita sua na kenard kaverna, que ficará, assim, mais culta e bela, parodiando melhor a última flor do lácio do bilac.

fique com deus, na paz do senhor. não se deixe de mim. beijos kenardianos.

kenardkruel@yahoo.com.br

Alcione Torres disse...

Tem um selo massa para você no meu blog! Espero que goste!
http://sarapateldecoruja.blogspot.com/2009/01/blog-maneiro-um-selo-muito-especial.html
Abs.

Wagner L. Moreno disse...

antigamente achava isso uma besteira... mas já enxergo com outros olhos... é coisa séria!

Adorei essa potagem... bem completa! parabens

Allyne Alves [LynneHouse] disse...

Querida, muito bom o post.

Voce é forte, tenho certeza que vai passar, conte comigo!

Beijo

Bem Resolvida disse...

oi querida, quanto tempo!!!
eu ja tive depressão mas foi leve e passou sozinha, graças à Deus. Tenho transtorno de ansiedade e médicos me receitaram anti-depressivos que nunca aceitei tomar e procuro ter um auto-controle sobre essa ansiedade toda e dá certo...embora eu continue muito tensa eansiosa o tempo todo, pelo menos não sou de roer unhas....rsrs

como vc está??
um beijo pra vc!!

Tânia Defensora disse...

Oi Jhennifer!
Que informações importantes vc postou aqui.
Obrigada pela visita!
Parabéns pela gravidez. Um filho é sempre uma benção na vida das pessoas que amam a Deus.
Beijo grande.

Rafhitch disse...

Belo texto Jhennifer, é sempre bom as pessoas saberem diferenciar o que é tristeza de depressão.

Bom, já tive a um passo de ficar assim em uma fase de minha vida porém, fui forte o suficiente para me reerguer e continuar a minha vida como ela sempre foi.

Agora quanto ao transtorno que você comentou que tem, seria o THB ou para ser mais exato o Transtorno do Humor Bipolar?

Beijoss!

Words and Movies disse...

Oie... Deixei um post pra vc lá no meu blog !!
Bjão

Bárbara Fróis disse...

Tem selinho pra vocÊ!
Bejos

*Lusinha* disse...

Depressão é mais delicado e complicado do que imaginamos. Minha tia já sofreu desse mal e era muito ruim ver o desespero dela a tantas horas da madrugada, inquieta com não se sabe o quê.
Bjitos!

Inspirações disse...

gostei muito da sua presença lá e do seu comentário. Volte sempre, o espaço é todo seu...

Sophie disse...

Deixei um selo pra vc!!! ;D
=*

LameDuck disse...

Olá,
estou trocando meu blog de servidor.
Agora o endereço é:
http://lameduck-br.blogspot.com/

atualize o endereço do banner, por favor.

Vivian Sbrussi disse...

Ótimo post!!!
parabéns!!!